Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Conceição do Mato Dentro e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Conceição do Mato Dentro
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social YouTube
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
AGO
20
20 AGO 2021
CONCEIÇÃO NA MÍDIA
PERSONALIDADE DE CONCEIÇÃO: SR. HELVÉCIO, O PRÓSPERO CONCEICIONENSE QUE NÃO CONHECEU A ESCOLA, MAS VENCEU COM A FORÇA DO TRABALHO
enviar para um amigo
receba notícias

CMD, SEXTA-FEIRA 20.08.2021 – “Obrigado ao homem do campo. Do oeste, do norte e do sul, sertanejo da pele queimada do sol que brilha no céu azul... Obrigado ao homem do campo que ainda guarda com zelo, a raiz da cultura, da fé, dos costumes e valores do nosso país”, trecho da canção gravada pela dupla Dom e Ravel. Hoje vamos homenagear no quadro Personalidade de Conceição, um homem do campo que venceu na vida, perdeu tudo e se reergueu com muita fé e coragem. Estamos falando do Sr. Helvécio Marques Pereira, de Ouro Fino, esse sertanejo conceicionense cheio de prosa, mas, principalmente, determinação.

Filho dos saudosos fazendeiros Joaquim Marques Viana e Geralda Pereira de Oliveira, Helvécio Marques Pereira nasceu no dia 01 de maio de 1944, no distrito de Ouro Fino, em Conceição do Mato Dentro. “Meu pai comprou uma casa em Conceição, mas preferiu trabalhar na fazenda que era dele. Aí permanecemos na roça mesmo... Quando eu era menino, com uns 8 anos de idade, saia bem cedinho para juntar as vacas e tirar leite. Tempo bom, viu? Eu sempre levava um pedacinho de rapadura para colocar no leite tirado na hora para beber (risos). Era uma delícia. Vivi assim por muitos e muitos anos e nunca fui em uma escola”, relembrou o Sr. Helvécio.

Ele conta que ao se tornar “moço”, viajava com o Sr. Joaquim para vender tropas. “Fui adquirindo experiência e com o passar do tempo, meu pai me colocou para cuidar da fazenda. O serviço era pesado, mas foi compensativo. Eu pegava a rala (parte ralada do próprio queijo artesanal) e o soro e vendia para as padarias. Com os rendimentos, consegui comprar meu Jeep e ainda fiz dele um táxi, na época só existia esse modelo de carro”, explicou o empreendedor.

Trabalhando com o que gostava e aos poucos adquirindo a independência financeira, Sr. Helvécio percebeu que faltava uma companheira em sua vida. “Tive a sorte de conhecer a minha primeira esposa Ambrosina Inez Generoso, que as pessoas conheciam como Zizita. Nos casamos e tivemos um filho, o Marcelo Generoso. Com o meu casamento, para me ajudar, o meu pai passou para a minha responsabilidade a produção da fazenda e nos dividíamos os rendimentos”.

O tempo foi passando e o Sr. Helvécio percebeu que queria incrementar novas tarefas ao trabalho. “Eu consegui comprar um caminhão e junto com um amigo que se tornou meu sócio, comecei a trabalhar puxando carvão para a cidade de Monlevade. Fiquei um período assim, mas com muita luta consegui pagar meu sócio e, em seguida, já estava trabalhando sozinho e rodando o Brasil todo com meu caminhão. Era muito bom, juntei uma boa quantia em dinheiro”, revelou.

Quando tudo parecia caminhar bem, nosso personagem foi surpreendido pelo pedido de divórcio da Srª Zizita. “As minhas coisas estavam a todo vapor, tinha comprado mais dois caminhões, um posto de gasolina, apartamentos... aí veio a triste notícia: minha mulher pediu o divórcio e levou praticamente tudo. Lembro que fiquei somente com 2 caminhões onde um era minha cama”, lamentou.

No entanto, o senhor de fibra não desanimou e decidiu refazer a vida. “Continuei trabalhando muito, com muita força e garra recomecei e aos poucos fui conseguindo me reerguer. Comprei uns prédios aqui na sede, comprei as partes dos meus irmãos da fazenda que herdamos dos nossos pais, enfim, refiz meus patrimônios”, detalhou o homem visionário, acrescentando que após alguns anos soube do falecimento da Srª Zizita e, na sequência, do seu filho Marcelo. “Foram tempos difíceis e de muita tristeza para mim”.

Novamente, o Sr. Helvécio apesar de ter posses, se viu sozinho e sem ter com quem compartilhar tudo que adquiriu com muito trabalho. “Deus me ajudou e colocou nos meus caminhos uma pessoa especial, incrível e companheira de todas as horas que é a Regina, com quem vivo até os dias de hoje. Estou com os meus 77 anos e sou uma pessoa forte, pois viajo buscando materiais, telhas e outras coisas. Continuo cuidando da fazenda e das criações que gosto demais”, comemorou.

Para finalizar, ele diz: “sou eu quem troco os pneus do caminhão, sou o meu próprio mecânico (risos). Cuido de tudo com muito carinho. Só tenho que agradecer ao Senhor Bom Jesus de Matosinhos, à Nossa Senhora Aparecida pela proteção e ao meu grande pai com quem aprendi a trabalhar honestamente, meu orgulho, e hoje toda a gratidão a ele”, concluiu o Sr. Helvécio.

Essa é uma singela homenagem da Prefeitura de Conceição do Mato Dentro ao Sr. Helvécio Marques Pereira, esse senhor forte, cheio de garra e que enfrentou os desafios impostos pela vida com a sabedoria que herdou do pai, o saudoso conceicionense Joaquim Marques Viana.

PREFEITURA DE CMD
JUNTOS POR UM NOVO TEMPO

Autor: PREFEITURA DE CONCEIÇÃO DO MATO DENTRO
Local: CONCEIÇÃO DO MATO DENTRO
Seta
Versão do Sistema: 3.2.8 - 16/11/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia